Projeto de publicação para Gestores Públicos do Instituto Educadigital recebe financiamento do Comitê Gestor da Internet no Brasil

 

IMG_20170210_165608_153 (1)

Reunião sobre o conteúdo do Guia com membros do Comitê Consultivo Editorial

Mais um sonho antigo está prestes a ser realizado. Com apoio do CGI.br (Comitê Gestor da Internet no Brasil), o Instituto Educadigital vai elaborar a primeira publicação sobre educação aberta em formato de “guia” e destinada a gestores públicos. Educadores, técnicos de secretaria de educação e departamentos jurídicos poderão compreender melhor o contexto do tema e planejar e executar políticas públicas mais assertivas nesse tema, tendo como base documentos globais, como a Declaração REA de Paris.

A experiência de trabalho do IED  nos últimos anos demonstra que ainda existe muito desconhecimento e confusão em relação aos conceitos de “aberto” e “gratuito” e aos novos modelos de gestão do direito autoral, mesmo nos setores jurídicos das instituições, fato que leva à insegurança de se optar pelo uso de licenças flexíveis como as Creative Commons, apesar do respaldo jurídico com base na atual legislação de Direito Autoral.

O Guia Educação Aberta para Gestores tem por objetivo orientar os novos gestores municipais que acabam de assumir em 2017 e suas equipes técnicas a de fato criarem políticas públicas abertas, que beneficiem educadores, estudantes e toda a sociedade, até aqueles que não estão formalmente matriculados no sistema de ensino. A publicação será a primeira nessa linha no Brasil, e vamos usar como referências materiais internacionais semelhantes, como o Guiidebook Free to Learn, de Hal Plotkin.

Para a elaboração do material, convidamos um grupo de ativistas, educadores e servidores públicos para compor um Comitê Consultivo Editorial, para apoiar o trabalho desde a seleção dos temas até a leitura crítica do conteúdo antes de ser lançado.

 

Sobre nosso trabalho pela causa da Educação Aberta

Desde 2011, o Educadigital, por meio do projeto REA.br vem realizando ações de advocacy pela causa da educação aberta no Brasil. Dentre os avanços na política pública brasileira, além do Plano Nacional de Educação, tivemos a aprovação de um decreto na cidade de São Paulo, a aprovação de uma Lei Estadual no DF, e a criação em 2016 da política de educação aberta da CAPES para a UAB, desdobramento da resolução de educação a distância promulgada no mesmo ano. Em tramitação, temos um projeto de Lei Federal sobre o tema.

IMG_20170210_165313_503

Em grupos os participantes sugeriram temas fundamentais, desejáveis e os que seriam um diferencial

Nosso trabalho pela causa envolveu também diversas formações no executivo (Ministério da Educação, Capes e em secretarias de educação municipais e estaduais). Em 2012, lançamos com parceiros da Casa da Cultura Digital o primeiro livro sobre REA no Brasil, com artigos e relatos de experiência. Nas últimas eleições para deputados, senadores, governadores e presidente, realizamos uma campanha nacional “Carta Compromisso Educação Aberta”, para dialogar com os políticos sobre os Recursos Educacionais Abertos. Em 2014, recebemos o Prêmio ARede Categoria Especial Educação.

Em agosto de 2015, articulamos com as comissões de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados a organização de um Seminário Internacional sobre Recursos Internacionais Abertos, voltado a pesquisadores e, principalmente, gestores e legisladores públicos. O evento contou com a presença de palestrantes internacionais, como Hal Plotkin, responsável pela implementação da política de REA do governo Obama nos Estados Unidos.

Em 2016, participamos do grupo de cocriação do Compromisso 6 do 3o Plano de Ação da Parceria Governo Aberto do Brasil, sobre Recursos Educacionais Digitais. E também iniciamos a preparação do curso sobre Recursos Educacionais Abertos para a Universidade Aberta do Brasil da CAPES, em parceria com a Cátedra de Educação Aberta da Unesco na UNICAMP.

 

Comitê Editorial Consultivo para o Guia Educação Aberta 

 

Adriana Vieira e Gustavo Paiva

Cenpec

AlexandreAbdo

Pesquisador

Andressa Pellanda

CampanhapeloDireitoàEducação

Ariel Kogan e Bruna Santos

Open Knowledge Brasil

Drica Guzzi

Escola do Futuro USP

Fabio Senne

CETIC.br

Fernanda Campagnucci, Gislaine Munhoz e
Regina Gavassa

SME-SP

Flavia Lefevre

Proteste e conselhoCGI.br

Nelson Pretto

UFBA

Paula Carolei

Unifesp

Pedro Markun

Labhacker

Ricardo Poppi

CidadeDemocrática

Sergio Branco

ITS-Rio

Tel Amiel

Cátedra EA Unesco

Yuri Wanderley

SEE-BA

%d blogueiros gostam disto: