Maior ação de formação em Recursos Educacionais Abertos (REA) já realizada no Brasil começa dia 9 de abril e será destinada a docentes do Ensino Superior que integram a Universidade Aberta do Brasil (UAB)

 

 

página inicial do curso REA no Moodle

Entrada do curso REA

Com conteúdo elaborado e organizado pela Iniciativa Educação Aberta, a CAPES-MEC vai oferecer a primeira edição do curso EAD sobre Recursos Educacionais Abertos (REA), na modalidade extensão pela UFABC, para cerca de 300 docentes de universidades públicas que participam do Programa Universidade Aberta do Brasil (UAB). O curso foi desenvolvido na plataforma moodle por Priscila Gonsales e Débora Sebriam, do Instituto Educadigital, e por Tel Amiel, atualmente professor da UnB, considerando cursos sobre o tema que já havia sido realizados no Brasil, como o REA Paraná, especialmente voltado para professores da UFPR e também cursos de instituições de outros países sobre o tema.

“Fizemos várias adaptações e ajustes, especialmente levando em conta o contexto atual em que estamos, os estudos mais recentes que temos acompanhado em congressos internacionais”, relata Priscila. “Vamos abordar, por exemplo, temas como Economia do Bem Comum e RRI (Pesquisa e Inovação Responsável), como contexto geral”, destaca.

A proposta do curso integra uma série de ações que vêm sendo feitas pela CAPES, com apoio da Iniciativa Educação Aberta desde 2015, envolvendo formação de gestores do órgão, assim como assessoria sobre questões de licença e direito autoral para adequação de documentos internos como editais e termos oficiais da UAB. A UAB é um programa do Ministério da Educação, sob coordenação direta da CAPES, que possibilita formação superior a professores da Educação Básica. Confira aqui os pontos relacionados a REA na UAB.

cursoCara

Página inicial do curso EAD no moodle

Ao tornar a UAB uma iniciativa realmente aberta, o Ministério da Educação incentiva que todo o conteúdo subsidiado que é preparado para os cursos de formação superior possam ser disponibilizados para toda a sociedade. Municípios pequenos, por exemplo, poderão fazer reuso e adaptação para suas necessidades educacionais locais. Trata-se de um melhor aproveitamento do investimento público.

Para Silvia Helena Rodrigues, coordenadora de educação a distância na CAPES, o curso tem por objetivo levar o conhecimento sobre o tema para as universidades parceiras, abrir o debate e levantar dúvidas, já que não basta haver uma determinação oficial para as mudanças acontecerem. Confira depoimento que Silvia deu para o vídeo sobre o lançamento do livro-guia Como Implementar uma Política de Educação Aberta e de REA.

A estrutura do curso envolve tópicos de conteúdo a partir das Competências REA, que foram lançadas no 2º Congresso Mundial de REA da Unesco, em 2017, em Liubliana, Eslovênia. O participante poderá escolher percursos formativos que passam por: usar, criar e compartilhar. Farão parte também do curso fóruns de discussão, atividades práticas de análise, produção e depósito de recursos educacionais abertos, além de entrevistas ao vivo com especialistas sobre os temas estudados.

Para o segundo semestre, ainda está programado um curso de embaixadores, voltado para participantes que participaram do primeiro curso e têm interesse em se tornar disseminadores do conceito de educação aberta e de recursos educacionais abertos. “Pretendemos, em breve, adaptar o curso para ofertar também para professores da Educação Básica”, pontua Tel Amiel.

Saiba quem são os gestores, mediadores e entrevistados do curso:

Professores gestores
Débora Sebriam
Priscila Gonsales
Tel Amiel

Professores colaboradores mediadores
Danieverlin Pereira – UFMG
Henrique Oliveira da Silva – UFPR
Miguel Said Vieira – UFABC
Tiago Soares – doutorando USP

Professores entrevistados
Alexandra Okada – Open University
Ana Cristina Matte – UFMG
Ismar Frango – Mackenzie
Nelson Pretto – UFBA
Sérgio Branco – ITS-Rio
Sérgio Amadeu – UFABC

%d blogueiros gostam disto: