Realizado em São Paulo nos dias 3 e 4 de abril, Consulta Regional Américas reuniu 80 representantes de governo, universidades e sociedade civil de países da América Latina e Caribe

 

Grupo de trabalho com diretorias do MEC, CAPES, senadora uruguaia e organizações sociais

Grupo de trabalho com diretorias do MEC, CAPES, senadora uruguaia e organizações sociais

Duas diretorias da Secretaria de Educação Básica do MEC, a Diretoria de Formação de Profissionais e a Diretoria de Apoio às Redes, e também a Diretoria de Educação a Distância da CAPES participaram dos dois dias de discussões e grupos de trabalho sobre os principais desafios em torno da implementação de políticas públicas de educação aberta e de recursos educacionais abertos.

Denominado Consulta Regional, trata-se de uma série de eventos preparatórios para o 2º Congresso Internacional de Recursos Educacionais Abertos (REA) que vai ocorrer em setembro na Eslovênia. A organização é de responsabilidade da UNESCO, do Commonwealth of Learning (COL) e, no Brasil, foi feita em parceria com a Cátedra UNESCO de Educação Aberta da UNICAMP e o Instituto Educadigital.

Além da equipe de profissionais representantes do poder executivo, o evento também contou com a presença da deputada federal Margarida Salomão, relatora do Projeto de Lei 1513/2011, que visa instituir uma política pública de REA em todo o país a partir do licenciamento aberto de todo material comprado ou subsidiado pelo Ministério da Educação. Também esteve presente o coordenador geral de Transparência e Governo Aberto da OGP-Brasil, Aureliano Rodrigues Junior. Pela primeira vez, desde sua fundação, o OGP-Brasil traz um compromisso com princípios de REA, cuja execução está sob responsabilidade do MEC. Saiba mais aqui.

Na cerimônia de abertura, Fernanda Campagnucci, representando o secretário municipal de Educação de São Paulo, Alexandre Schneider, antecipou os objetivos da iniciativa de governo aberto e transparência Pátio Digital, que seria lançado na semana seguinte. A SME-SP foi a primeira no Brasil a instituir uma política pública de REA por meio do decreto 52.681.

Paulo Freire citado como uma referência do movimento REA

Paulo Freire citado como uma referência do movimento REA

Paulo Freire e todo seu discurso de cooperação e relação dialógica na educação foi citado pela presidente do COL, Asha Kanwar. “Se estivesse entre nós hoje, certamente ele seria um dos maiores defensores dos recursos educacionais abertos e todo seu potencial de replicabilidade e adaptação”, enfatizou.

Ao todo, cerca de 80 profissionais, ativistas e representantes de governo da região das Américas puderam debater e, em grupos, estabelecer pontos importantes de discussão que precisam ser levados ao 2º Congresso Mundial de Recursos Educacionais Abertos.

 

Algumas questões levantadas:

– Favorecer o compartilhamento de práticas de REA dos diferentes países, especialmente em relação a estratégias de engajamento e envolvimento de diversos atores do ecossistema educacional;

– Quais as habilidades e os conhecimentos necessários para implementação de políticas institucionais de REA e como elas podem ser obtidas pelos diversos atores envolvidos;

– Financiamento de práticas abertas e de produção de REA: papel dos órgãos públicos e da iniciativa privada na promoção e desenvolvimentos de REA;

Grupo de participantes da Consulta Regional Américas

Grupo de participantes da Consulta Regional Américas

– Novos modelos de negócio de REA;

– Entraves culturais e de linguagem: como cooperar entre países, financiamento para traduções e adaptações de materiais disponíveis;

– REA e sua relação com o 4 Objetivo do Desenvolvimento Sustentável da ONU: de que forma a disseminação de práticas e materiais abertos pode favorecer a equidade educacional;

– Curadoria e qualidade de REA: como promover, desenvolver e fomentar análises qualitativas entre pares e de forma centralizada.

Saiba mais sobre os temas debatidos nas Consultas Regionais, clique aqui.

 

 

Iniciativa Educação Aberta

Tel Amiel apresenta o ecossistema da educação que o Iniciativa Educação Aberta pretende atender

Tel Amiel apresenta o ecossistema da educação que o Iniciativa Educação Aberta pretende atender

Durante a Consulta Regional Américas, o Instituto Educadigital e a Cátedra UNESCO de Educação Aberta lançaram a Iniciativa Educação Aberta (IAE), uma plataforma que reúne, informações, publicações e cursos sobre o tema no Brasil. Uma das primeiras ações da IAE é o curso online para as instituições federais de ensino superior integrantes do  Programa Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Também farão parte da plataforma um Guia REA para Gestores, financiado pelo CGI.br, que está em elaboração, assim como um referatório de recursos educacionais com licenças abertas, o REliA, que está em campanha de financiamento coletivo.

Acesse: www.aberta.org.br 

 

Priscila Gonsales
Co-founder and director na Instituto Educadigital
Priscila Gonsales
%d blogueiros gostam disto: