Priscila Gonsales, diretora do Educadigital, Tel Amiel, pesquisador da Unicamp, e Kim Machlup, da Mov Investimentos, debateram com os presentes as oportunidades que o conceito de educação aberta e recursos educacionais abertos podem trazer para as edtech startups

 

cieb“Os princípios que são quase lema da educação contemporânea são os mesmos princípios que surgem na virada do século XX”. Com essa introdução, o pesquisador Tel Amiel, coordenador da Cátedra de Educação Aberta na Unicamp, apresentou o cenário de educação aberta como uma demanda existente há tempos por uma educação mais democrática e libertária. Lembrou ainda que na década de 60, o movimento “sociedade sem escolas”, já trouxe ideias muito coerentes com o que entendemos por educação aberta hoje, como por exemplo:

– todos que quiserem aprender devem ter acesso aos recursos disponíveis a qualquer momento da vida;
– todos que queiram ensinar algo possam ser capacitados para ensinar.

Nesse modelo, enfatizou Tel, que surge antes de termos a web disponível para o público, já se previa um serviço de consulta a objetos educacionais, intercâmbio de habilidades e lugar de encontro para aprender, algo que existe hoje em uma série de plataformas atuais. O movimento de educação aberta no ensino superior começa também nos anos 60 com a Open University na Inglaterra e vem ganhando corpo com a adesão de várias outras universidades pelo mundo.

EADentro do conceito de educação aberta, temos os recursos educacionais abertos, que foram apresentados por Priscila Gonsales, diretora-executiva do Educadigital. REA são materiais destinados ao ensino e aprendizagem, em qualquer formato ou mídia, que estão licenciados de maneira flexível, permitindo usos variados e adaptações. Trata-se de um movimento internacional, liderado pela Unesco, que visa engajar governos do mundo todo a licenciar abertamente materiais educativos adquiridos com recursos públicos. Além disso, REA oferece uma oportunidade importante para o protagonismo de professores e alunos à medida que podem se tornar produtores de informação, conhecimento e cultura e não apenas consumidores. Priscila apresentou a campanha #GoOpen, do governo Obama, que visa engajar estados e escolas de ensino básico a adotar e produzir REA. E contou que está desenvolvendo um estudo sobre inovação aberta na educação, em parceria com o CIEB, para identificar iniciativas e modelos de negócio que podem ser criados com REA.

Conecte-C é um evento organizado mensalmente pelo Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB), que reúne empreendedores de edtech startups, educadores, pesquisadores e investidores para debater temas variados obre inovação na educação. Mais informações, acompanhe a página do CIEB no Facebook.

Leia aqui a cobertura do site Porvir.

%d blogueiros gostam disto: