O 6º Congresso Ensino e Pesquisa do Ensino, realizado pelo Sindicato dos Professores de São Paulo teve como tema Educação e Tecnologia – Revisitando a Sala de Aula

 

WhatsApp Image 2017-08-28 at 19.26.47 (1)Em sua sexta edição, o tradicional Congresso do Sinpro, nos dias 17, 18 e 19 de agosto, trouxe o tema da Educação e Tecnologia, que, segungo a entidade, se mostram cada vez mais indissociáveis no trabalho dos professores.

Numa abordagem ampla e multidisciplinar, com curadoria dos professores César Nunes, da Unicamp, e Solange Giardino, do Mackenzie, o 6º Conpe abordou desde a questão dos recursos disponíveis como também o potencial da tecnologia para criar novos paradigmas na Educação básica e no Ensino superior. O evento tem por objetivo ser um espaço que estimula o gosto pela descoberta e pela reflexão.

A diretora-executiva do IED foi uma das painelistas da mesa Conteúdos, software e equipamentos – comerciais e livres – quem usa, quem produz? que também contou com as apresentações de Solange Petrosino, gerente de serviços educacionais da Editora Moderna, e Moisés Zybersztajn, coordenador de tecnologia do Colégio Santa Cruz. Priscila apresentou o conceito de “aberto” e a diferença em relação ao que se entende por “gratuito” e, nesse sentido, reforçou o papel dos Recursos Educacionais Abertos no contexto da cultura digital, em que se pode encontrar materiais diversos ao alcance de um clique, algo que antes da internet, só era possível por meio de algum suporte físico. Priscila explicou, ainda, quais são as chamadas licenças sociais, como as do Creative Commons, que transforma a ideia de “todos os direitos reservados” para “alguns direitos reservados”.

Mônica mostrou aos presentes alguns dos principais produtos que a editora vem produzindo e como se dá o processo interno de busca de qualidade e adequação aos diferentes contextos que vão surgindo. Apresentou algumas possibilidades de materiais gratuitos que são disponibilizados pela editora, mas que não podem ser distribuídos ou modificados e que o entendimento desse cenário do “aberto” segue sendo um desafio.

Moisés trouxe a perspectiva da instituição escolar, ainda que bastante particular, como ele mesmo ressaltou, por ser uma escola de elite, na qual os alunos pagam mensalidade alta e o orçamento do setor de tecnologia educacional é bastante alto, o que permite muitas experimentações.

Para saber mais sobre o congresso, veja o vídeo reportagem e algumas entrevistas com palestrantes.

%d blogueiros gostam disto: